Projeto #Fazendo1Som

Após ser aprovado com bolsa de estudos para fazer um mestrado em Jazz Performance nos Estados Unidos em 2017, eu me senti motivado a liderar algum projeto e ter um material com o meu nome, minhas escolhas e meu som.


Senti que estava no momento da carreira de começar a gerar ações criativas, fazer oportunidades e aprender sobre liderança, administração, direção e planejamento. Digo “fazer oportunidades” pois falamos muito em aproveitar e estar preparado para oportunidades que aparecem; o que é extremamente importante e minha carreira tem se desenvolvido exatamente dessa forma. Mas por que não desenvolver a carreira também no lado ativo da oportunidade: planejar e realizar coisas?

É desafiador pra mim, pois me tira da zona de conforto receber as ligações e trabalhar pra entregar o melhor resultado musical que eu puder para os meus contratantes. Não significa que isso é fácil ou menor. Por exemplo, eu nunca ouvi falar do Vinnie Colaiuta Trio/Group/Band, não é porque ele não tem sua própria banda que a carreira dele é menor ou menos “bem-sucedida”. Ele é o melhor sideman do mundo, na minha opinião. Desenvolveu uma carreira incrível, incomparável até o momento, gravando e tocando em projetos quase sempre dos outros. Eu estou acostumado a trabalhar nesse formato: ser contratado para realizar a minha parte nos projetos. Isso é maravilhoso. Pude tocar com muitos músicos diferentes, conhecer lugares diferentes e faço parte de muitos projetos maravilhosos. Ser o líder de um projeto é completamente diferente e fora da minha experiência. Apesar de que eu sempre observei muito os líderes com que convivi e pude aprender bastante com todos eles. Tomei coragem e então criei duas oportunidades: o Pedrinho Augusto Trio e o Fazendo 1 Som. Sobre meu trio eu vou falar em um outro post. Aqui vou me ater ao Fazendo 1 Um Som!


A ideia inicial era ter um material áudio visual de qualidade que mostrasse um pouco do meu potencial musical como instrumentista e para ser publicado no YouTube, ou seja: pro mundo poder ver. Então comecei a pensar o que eu tocaria e com quem. Vi que se eu deixasse isso em aberto eu poderia aproveitar melhor oportunidades únicas de tocar com certos músicos ou de tocar o que a inspiração estiver indicando no momento.


Por exemplo, o Michael Pipoquinha estava de passagem em Brasília para tocar com a Funqquestra (banda que faço parte também) e aproveitei a presença dele para convidá-lo para fazer esse som comigo e com o Dadá Nunes (sanfona). Ou seja: qualquer músico que eu tiver vontade de tocar junto pode ser convidado pra gravar pro projeto sem ensaio prévio, em algumas horas de um dia e fica um registro de um encontro musical ao acesso de todos.


Essa simplicidade fez com que o projeto se tornasse viável. Eu não preciso de uma banda fixa, eu não preciso de arranjos pré-produzidos necessariamente, eu não preciso de ensaio eu preciso “só” dos músicos certos. Ainda assim existem os desafios logísticos de agenda e de fazer a gravação acontecer, mas essa simplicidade na concepção do projeto facilitou muito essa parte também.


Seja bem vindo ao projeto, você como espectador é uma parte enorme disso tudo. O Fazendo 1 Som primeira temporada têm quatro vídeos que são lançados mensalmente. Obviamente, o projeto contou com o trabalho de muita gente, então quero deixar aqui o meu agradecimento ao Hertz Studio, nas pessoas do Mariano Junior e Frederico Braga, e todos os músicos envolvidos: Dadá Nunes, Michael Pipoquinha, Sandro Alves, Rodrigo Bezerra e Lucas Rodrigues. Agradeço também aos integrantes da minha equipe, galera da G7 PRODUÇÕES, que cuidam da minha carreira. Curta o som e me escreva nos comentários, ou nas minhas redes sociais o que você achou, coisas boas e coisas a melhorar!


Abaixo você pode conferir o teaser do projeto. Inscreva-se no meu canal e confira o projeto na íntegra!

Vamo de música!


Facebook | Instagram | YouTube

ASSISTA AO TEASER DO PROJETO:

© 2018 por Pedrinho Augusto

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

Desenvolvido por G7 PRODUÇÕES